Prefeitura discute novos projetos com Caixa Econômica


O prefeito Marcelo Rangel recebeu ontem sexta-feira o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Luis Henrique Borgo, acompanhado pelos secretários de Planejamento, João Ney Marçal Júnior, e de Governo, Indianara Milléo, para tratar de novos projetos. Borgo também trouxe a boa notícia de mudanças no plano do projeto federal Minha Casa, Minha Vida: as casa construídas para a chamada faixa 1 – destinada à população de menor renda – terão piso de cerâmica, ao invés do cimento batido, como eram até pouco atrás as residências entregues. Foram discutidos também projetos para habitação, pavimentação e incentivo à cultura.
“O novo governo tem se mostrado aberto a novos projetos, com objetivos definidos e o caminho de como atingi-los”, disse Borgo. O superintendente também deixou o governo municipal a par do projeto Pró-Transporte, ligado ao Ministério das Cidades. Ponta Grossa teve projeto selecionado no fim do ano passado e terá repasse federal de R$ 20 milhões para pavimentação de linhas de ônibus. O financiamento para as obras terá cinco anos de carência e um prazo de 20 anos para ser pago. Segundo Borgo, os projetos já estão em fase final de implementação. Sobre isso, Rangel adiantou que Ponta Grossa já enviou ao Ministério das Cidades mais três projetos, com previsão de recursos de mais de R$ 5 milhões cada um. A seleção dos projetos de todo o Brasil será em abril. “Em breve teremos melhores notícias em relação isso”, disse o prefeito.
Sobre habitação, Rangel destacou o interesse do município em firmar novas parcerias com o governo federal através da Caixa Econômica Federal, a exemplo dos firmados no início do ano. Em janeiro, o prefeito, juntamente com Borgo, anunciou a construção de 1.627 novas moradias em Ponta Grossa, através do Minha Casa, Minha Vida. Os investimentos somam mais de R$ 72 milhões na construção de quatro residenciais, sendo três no Rio Verde e um na Chapada. “Vamos cumprir nosso com a população”, afirmou Rangel.  Com essas residências, o prefeito já cumpre mais de 20% de sua meta proposta para área habitacional de Ponta Grossa, que é a construção de seis mil novas moradias nos quatro anos de governo.