Rangel quer corredores exclusivos para ônibus


O prefeito Marcelo Rangel anunciou ontem terça-feira que entre as mudanças que pretende implantar, no sistema de transporte coletivo – que deve ser objeto de nova licitação ainda este ano – estão corredores exclusivos para os ônibus. “Estamos avaliando, dentro do grande quadro das reformas necessárias para o transporte coletivo, se a melhor opção são canaletas ou corredores exclusivos para ônibus”, informa o chefe do Executivo. Ele já discutiu o assunto em várias oportunidades com o secretário municipal de Planejamento, João Ney Marçal Júnior, e com o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte, Eduardo Kalinoski.
“Me parece muito claro que existem mudanças a serem feitas e elas devem ser abrangentes. Tivemos a experiência com os ônibus ‘diretos’, de terminal a terminal e a aceitação foi muito boa. Acredito que não encontraremos muita resistência à idéia de implantar canaletas ou corredores exclusivos”, explica o prefeito. Segundo Marcelo Rangel, os ganhos são evidentes: “teremos um significativo ganho de tempo nos deslocamentos e, também, um menor comprometimento do fluxo de veículos comuns nas demais vias, porque estaremos retirando ônibus desses trajetos”. O ganho de tempo, explica, “é importante para todos os usuários, porque isso representa menos horas por semana despendidos no trajeto de casa para o trabalho ou a escola e, por causa disso, mais tempo disponível para outras atividades – melhorando também a qualidade de vida de todos os mais de cem mil ponta-grossenses que usam diariamente o sistema de transporte da cidade”.
Entre os pontos que estão sendo analisados para discussão nas audiências públicas, além de corredores ou canaletas exclusivas, o prefeito lista ainda alterações importantes em trajetos, remodelação de itinerários e uma oferta bem maior de informações aos passageiros: “os usuários do sistema devem saber quais veículos circulam por aquele trecho, quais são seus destinos e pontos de parada. Ou seja, queremos mais qualidade também nesse aspecto”.
As definições acerca das mudanças que devem ser implantadas no sistema de transporte coletivo serão avaliadas primeiramente em audiências públicas, que terão lugar no segundo trimestre do ano, e que serão preparatórias à abertura do processo licitatório pretendido pela administração municipal. “O cidadão terá o direito de se manifestar nessas audiências e através dos mecanismos de acesso que serão disponibilizados, por exemplo, no site da prefeitura. Como se trata de um serviço público, é o seu usuário que vai nos ajudar a fazer seu novo ‘design’ e lançar suas novas bases”, registra o prefeito.