Prefeitura amplia número de vagas para atividades de contraturno escolar

Foto: Divulgação
A Prefeitura de Ponta Grossa irá ampliar a oferta de vagas no atendimento de contra turno para crianças e adolescentes, de 7 a 14 anos. Atualmente, através de convênio com entidades assistenciais, são atendidas 880 crianças e a proposta da prefeitura é proporcionar mais 500 vagas até agosto e chegar a 5 mil crianças até 2015. A proposta foi levada ao Juizado da Infância e Juventude de Ponta Grossa pelas secretárias de Governo, Indianara Milléo, e de Assistência Social, Beatriz Souza, e as assistentes sociais que desenvolvem o trabalho de contra turno durante audiência, nesta segunda-feira (10), com a juíza Noeli Reback.

As ações apresentadas serão desenvolvidas em curto, médio e longo prazo. Imediatamente, a prefeitura inicia o projeto para a ampliação do projeto de atividades de contra turno, desenvolvida em convênio com as entidades socioassistenciais. A partir de agosto, mais 500 vagas serão abertas com o aporte financeiro do município de R$ 50 mil. Para janeiro de 2014 está programada a ampliação de mais 1,5 mil vagas e por fim, a longo prazo, ofertar a partir de janeiro de 2015 mais 2 mil vagas, fechando o atendimento a cinco mil crianças. “Avançamos muito nas nossas conversas. Está se vendo em Ponta Grossa ação política voltada para a criança e adolescente que eu nunca tinha visto antes”, disse Noeli.

Durante a audiência, foi apresentado à juíza um relatório das atividades de contra turno desenvolvidas pelas entidades conveniadas com a prefeitura. Hoje, cinco entidades trabalham com 880 crianças. Além das entidades socioassistenciais, a prefeitura disponibiliza atividades de contra turno em sete ginásios esportivos municipais, de 2ª a 5ª feira, das 13h30 às 17h. Os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) também atendem 264 crianças e adolescentes em diversas atividades e, segundo a secretária Beatriz Souza, há mais vagas disponíveis. Esses CRAS estão estrategicamente posicionados, perto de nove bolsões de pobreza do município, para atender ao público para o qual se destinam. A intenção, segundo a secretária de Assistência Social, é abrir mais vagas para atender, além da criança e do adolescente, toda a família junto.

As metas propostas para a juíza Noeli Reback foram desenvolvidas por uma equipe de assistentes sociais que atuam nos CRAS juntamente com a Secretaria Municipal de Governo. “Fizemos um amplo levantamento sobre como poderíamos atender a mais crianças no contraturno e conseguimos apresentar uma boa proposta para a juíza e com o aval dela, faremos um excelente trabalho”, diz a secretária de Governo, Indianara Milléo.

Fonte: Assessoria de Imprensa Prefeitura de Ponta Grossa