Dia Rosa chama a atenção para importância da prevenção

Foto: Divulgação
Em apenas oito horas, a Unidade de Saúde Silas Sallen, na Vila Francelina, realizou 154 exames preventivos do câncer do colo de útero durante o Dia Rosa, promovido no sábado e dedicado a discutir a doença, que a cada ano mata no Brasil cerca de 5 mil mulheres, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Durante todo o dia, além da realização do preventivo, as mulheres foram orientadas sobre a doença e receberam brindes. O material colhido nos exames foi encaminhado ao Centro Municipal da Mulher (CMM) para a análise e as mulheres que fizeram o preventivo serão chamadas pela unidade para buscarem os resultados.

A ação ocorrida na Silas Sallen foi uma medida importante para chamar a atenção da mulher para a importância do exame. De acordo com a coordenadora do CMM, Eliane Fernandes, apesar de toda a divulgação sobre o câncer e sobre a importância do preventivo, muitas mulheres ainda relutam em fazer o exame. Neste ano, de janeiro a junho, o CMM realizou 6.810 exames preventivos. Desses, 188 apresentaram resultados alterados, que necessitaram ou de um exame mais elaborado ou de uma biópsia.

O Dia Rosa, segundo o médico Dante Gubert, que atua na unidade Silas Sallen, foi projetado justamente pela necessidade de chamar a atenção das mulheres para o exame. “Temos na nossa unidade uma agenda com exames a serem feitos e percebemos que muitas mulheres não aparecem. Vamos atrás dessas pacientes, mas sempre há desculpas e elas não aparecem para o exame. Então resolvemos criar o Dia Rosa, que foi um dia de festa, de conscientização específico para tratarmos do tema”, disse o médico.

O exame preventivo é simples, não invasivo e de extrema importância, sendo a melhor ferramenta de prevenção do câncer. Ele pode ser realizado em todas as unidades básicas de saúde do município. Se o resultado apresentar alguma alteração, a mulher é encaminhada ao CMM para realização de um exame mais elaborado ou uma biópsia. Caso o resultado não apresente nenhuma irregularidade, a mulher deve repeti-lo no próximo ano. De acordo com o Inca, o câncer do colo de útero é mais comum na mulher dos 35 aos 45 anos. Se diagnosticada precocemente, a chance de cura da doença é de 100%.

Fonte: Assessoria de Imprensa Prefeitura de Ponta Grossa