Emergências representam só 20% da procura no Hospital Municipal

No ano passado, o Hospital Municipal Amadeu Puppi, atendeu 58 mil pacientes, desse número, 80% não foram de emergência
Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou nesta quarta-feira, 05, que apenas 20% dos cinco mil casos atendidos mensalmente no Hospital Municipal Amadeu Puppi ‘Pronto Socorro’ se enquadram nos casos de emergência. De acordo com o Protocolo de Manchester, sistema adotado pelos hospitais brasileiros pelo Ministério da Saúde, para organizar a triagem dos pacientes baseada nos sintomas e que classifica os doentes por cores, que representam o grau de gravidade e o tempo de espera recomendado para atendimento, pacientes de urgência tem prioridade de atendimento no Hospital Municipal Amadeu Puppi e em todos os Hospitais.
“O Hospital Municipal é referência para urgência e emergência, no entanto, registramos um número superior de casos que não seguem estes critérios. Conforme o Protocolo de Manchester, os pacientes de urgência e emergência são prioridade”, explica o diretor técnico do Hospital Municipal Amadeu Puppi, Pedro Ricardo Compasso.
Segundo o secretário de Saúde, Erildo Muller, as pessoas precisam aprender a utilizar o Sistema Único de Saúde (SUS) de Ponta Grossa. “ Percebemos que 80% dos pacientes que procuram o Hospital Municipal, deveriam procurar as unidade de saúde e os CAS. Isso desafogaria a lotação do hospital, que concentra um grande número de casos que não são de urgência e emergência. Ainda de acordo com Muller, a prefeitura está investindo em melhorias na Atenção Básica, para que os pacientes possam procurar as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e tenham um atendimento com mais qualidade: “estamos ampliando vinte e duas Unidades Básicas de Saúde, além disso, estão sendo construídas seis novas unidades, as ações demonstram a preocupação da gestão em melhorar o atendimento básico”. A Secretaria de Saúde trabalha com campanhas de orientações aos pacientes sobre a forma correta de utilizar a Saúde Pública. "Esperamos que os usuários criem o hábito de somente recorrer ao Hospital Municipal, quando necessário, ou seja, em casos de urgência e emergência”, conclui o secretário de Saúde, Erildo Muller.

Fonte: Assessoria de comunicação da prefeitura de Ponta Grossa