UPA deverá abrir em até 40 dias

Foto: Divulgação
            O prefeito Marcelo Rangel confirmou ontem quinta-feira (20) que a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Núcleo Santa Paula e o Pronto-Atendimento Infantil (PAI) deverão entrar em funcionamento em um prazo de 20 a 40 dias – ou seja, dentro do período estimado e já anunciado pelo governo. A licitação estava prevista para esta quinta-feira, no entanto, uma empresa de Curitiba obteve um mandado de segurança impugnando o processo licitatório. No entanto, segundo o prefeito, a empresa não atendeu a alguns requisitos do edital de licitação e, inclusive, não fez a visita técnica necessária, exigidas pelo no edital de licitação. O recurso da empresa foi apresentado no último dia que antecedeu a abertura das propostas. Em todo o período de habilitação e preparação das propostas, desde a abertura do edital, não havia sido registrado qualquer contestação, por parte de nenhuma das demais empresas que se apresentaram para participar do processo licitatório.
            Para o prefeito Marcelo Rangel a empresa agiu de má-fé e contou com ações políticas contrárias ao governo. “Essa empresa não possui as mínimas condições de participar da licitação, não cumpriu com as exigências do edital e com o objetivo de prejudicar a abertura da UPA e do PAI, entrou com o recurso no prazo final da licitação”. Rangel esclareceu também que a prefeitura vai tomar todas as medidas judiciais cabíveis. “Nosso departamento jurídico já está avaliando os documentos. Vamos lutar na justiça para manter o edital, que temos certeza que foi feito da maneira mais correta”. O prefeito também informou que uma avaliação jurídica do edital foi feita, por parte do governo, e nenhuma incorreção foi apontada.

UPA É PRIORIDADE PARA A CIDADE
 
Foto: Divulgação
            Para garantir que a UPA entre em funcionamento o mais rápido possível, o prefeito Marcelo Rangel, trabalha com a opção de contratação em caráter emergencial de uma empresa para operar aquela unidade e também o Pronto-Atendimento Infantil. “Além de lutarmos na justiça pelo nosso edital, poderemos fazer uma contratação em caráter emergencial, para que a UPA entre em funcionamento o mais breve possível”, garante Rangel.  Ele reforçou que a abertura da Unidade de Pronto-Atendimento e do Pronto-Atendimento Infantil são prioridades, e não apenas do governo, mas da cidade: “a abertura da UPA e do PAI vai desafogar o Hospital Municipal e o Hospital da Criança”, lembrou.

            O prefeito também falou sobre as ações políticas que prejudicam a população: “infelizmente algumas pessoas não perceberam que a eleição já acabou e, na tentativa de atingir o governo municipal, acabam prejudicando a população. Nós não vamos permitir que a nossa cidade seja prejudicada por estas atitudes”, conclui Rangel. O chefe do Executivo também disse considerar “muito estranho” que exatamente no dia em que a licitação da UPA seria aberta, foi agendado um manifesto “contra a prefeitura”.

Fonte: Assessoria de comunicação da prefeitura de Ponta Grossa