ADM: A quem pertence o conhecimento da empresa?








Já parou para pensar se um dos seus colaboradores resolvesse pedir demissão no exato momento em que todos os processos andam bem, os clientes todos satisfeitos, bons negócios e muitos projetos em andamento? Detalhe: este que pediu demissão é um dos profissionais mais competentes da empresa.
Você estaria tranquilo porque alguém poderia substituí-lo imediatamente e as atividades sairiam normalmente ou entraria em desespero porque sabe que ninguém mais faz ou sabe como fazer as atividades dele?
Muitos empresários não param para pensar que as peças que fazem o negócio funcionar são os seus colaboradores. Hoje, o empresário não detém mais a mão de obra de alguém que antes poderia ser substituída imediatamente, mas é dependente dos seus conhecimentos. As empresas passaram por uma evolução tecnológica tremenda e ainda muitas estão neste processo onde tudo está seguindo para a informatização. Muitos sistemas de gestão que utilizam softwares específicos foram desenhados especificamente para sua empresa e quem realmente sabe operá-los são os seus colaboradores. Toda a experiência que os colaboradores adquirem ao longo do tempo deve permanecer na empresa. Pela falta de consciência por parte dos gestores não se é dada a devida atenção ao tema. Qual seria a saída para que em tempos de crise, onde colaboradores pedem demissão, a empresa não fique à beira de um colapso porque seus processos pararam?
                                              
A resposta é a Gestão do conhecimento. Não entraremos a fundo no tema, mas falaremos da essência da coisa. A preocupação deve ser em capturar, resgatar este conhecimento, experiência que os colaboradores desenvolveram ao longo do tempo e colocá-los no papel. Encontrar uma estratégia de reter o conhecimento em arquivos eletrônicos, manuais, vídeos, áudios, enfim seja lá qual for o instrumento que vai utilizar para reter o conhecimento com a empresa, faça-o, caso contrário você estará correndo sérios riscos. Se é que já não está! Todas as atividades que impactam diretamente no negócio devem ter a devida atenção e se possível tudo procedimentado.
Pense naquele operador ou analista que sempre resolve as piores “encrencas”, você sabe como ele faz isto? Alguém sabe? Se amanhã der uma dor de barriga nele e ele não vier trabalhar, há pessoas qualificadas para assumir sua posição?  Se a resposta foi não é porque muita coisa ainda precisa ser feita na sua empresa, principalmente em matéria de gestão do conhecimento. As atividades estão padronizadas? Há métodos para a solução dos problemas? Há planos de sucessão na empresa?
Se ainda não pensou nesta possibilidade, fica a dica. Há de se encontrar uma forma de pegar este conhecimento que já lhe pertence, arquivar e deixar sempre uma pessoa em stand by para ocasiões de emergências. Muito mais do que isto também se faz necessário um plano de reconhecimento para os colaboradores. Certamente isto já pode mitigar que casos como o explicado acima possam ocorrer.

Boa sorte e sucesso!