PSDB quer respostas da escola de samba Beija Flor

Imagem reprodução portal 247

O PSDB vai pedir informações ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio sobre obras financiadas pelo BNDES na Guiné Equatorial; o líder do partido no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), suspeita que recursos do banco tenham sido usados por empreiteiras brasileiras que teriam financiado o enredo da escola de samba Beija Flor, campeã do Carnaval do Rio; “Se houver financiamento do BNDES a essas empresas, fica clara a triangulação de um banco público para uma escola de samba, o que não é justo. Você teria que ter um tratamento igual para todas as outras escolas”, afirmou.


O PSDB vai pedir informações ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio sobre obras financiadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) na Guiné Equatorial. O líder do partido no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), suspeita que recursos do banco tenham sido usados por empreiteiras brasileiras que teriam financiado o enredo da escola de samba Beija Flor, campeã do Carnaval do Rio.

No pedido de informações, Cunha Lima questiona o montante de recursos do BNDES destinado ao financiamento público de obras das empreiteiras no país africano, assim como pede que o banco relacione as empresas brasileiras que receberam esses recursos. “Se houver financiamento do BNDES a essas empresas, fica clara a triangulação de um banco público para uma escola de samba, o que não é justo. Você teria que ter um tratamento igual para todas as outras escolas”, afirmou o senador.


Além do pedido de informações, o PSDB trabalha pela instalação de CPI mista no Congresso (com deputados e senadores) para investigar o BNDES. A ideia dos tucanos é incluir as investigações sobre eventuais obras na Guiné Equatorial nos trabalhos da comissão de inquérito. “Vamos fazer um pente fino nos financiamentos e patrocínios do banco. Apenas queremos dar transparência a tudo o que é feito pelo banco”, afirmou Cunha Lima.