Prolar trabalha com projetos sociais no Residencial América

Foto: Divulgação
A Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) apresentou no ultimo sábado (21), no Residencial América, o projeto social que será desenvolvido com as 500 famílias que vivem na comunidade. Na ocasião, o prefeito Marcelo Rangel e o presidente da Prolar, Dino Schrutt, entregaram para os moradores caixas de Correios.  O Residencial América foi entregue para em novembro de 2014.

Ao longo deste ano, serão desenvolvidas ações que ajudarão os moradores na organização comunitária e na geração de renda. Todo o trabalho é supervisionado por assistentes sociais e psicólogos da Prolar. “O nosso trabalho não se encerra quando entregamos as chaves dos residenciais. Pouca gente sabe, mas vamos além disso, acompanhando os mutuários até que possam caminhar sozinhos”, explica Schrutt.  Neste período, a Prolar também manterá no Residencial América o Plantão Social para orientar os moradores e dar encaminhamentos aos serviços municipais necessários.

As ações programadas envolvem capacitação profissional, orçamento doméstico, educação ambiental, além das confraternizações. Em parceria com a Fundação Municipal de Cultura, a Prolar vai oferecer cursos de teatro, ballet para crianças de 7 a 14 anos, oficina de costura e de vídeo. Na oficina de vídeo, os participantes serão incentivados a produzirem documentários sobre questões sociais. No final do ano, será promovido um festival com as produções do Residencial América e de outros condomínios onde o curso está sendo oferecido.

A Prolar também está auxiliando dos moradores na formação de uma Associação de Moradores e de um Clube de Mães. Adriana de Lima Santos foi uma das primeiras mulheres a se inscrever no Clube de Mães. “É importante a gente se unir, se integrar, trocar informações. Eu quero fazer algo pela minha nova comunidade, ensinar o que sei e aprender mais com outras pessoas”, diz a dona de casa, que também vê a possibilidade de um aumento de renda para a família com os trabalhos que podem ser feitos através do Clube.

Para assistente social da Prolar, Marines Viezzer, responsável pela elaboração do projeto social, este trabalho é importante para conscientizar a população local sobre direitos e responsabilidades perante a comunidade em que vivem. “Nós os ajudamos a dar os primeiros passos para que formem uma sociedade organizada”, diz Marines.