Para que nunca se esqueça, para que nunca mais aconteça

Foi em um 1º de abril que o Brasil adentrou no período mais tenebroso de seu recente período republicano. Violações dos direitos humanos; restrições às liberdades civis, individuais e políticas; torturas; desaparecimentos; perseguições e assassinatos foram apenas algumas das atrocidades realizadas por aqueles que usurparam o comando do país.
Felizmente, esse período passou. Infelizmente, ainda sofremos com suas heranças, como o alto índice de jovens negros mortos nas favelas e periferias do Brasil. 

Daí a importância de recuperar essa memória, porque o exercício de rememorar é também o exercício de reescrever e se aprofundar na própria história, conhecendo os erros do passado e abrindo novos caminhos para o futuro. A cultura, enquanto universo simbólico que tece e dá sentido à vida social, é central para essa reconstrução.  
E será através da cultura que ergueremos um novo Brasil, cada vez mais calcado na democracia e na garantia das liberdades e direitos de todas e todos.