Richa pede compreensão e faz apelo aos professores para retorno às aulas

Foto: Divulgação
O governador Beto Richa disse ontem quinta-feira (28) que os 12% de reajuste propostos aos servidores só foram possíveis através de novos cálculos e remanejamentos do orçamento, assegurando ao funcionalismo o máximo possível. “Conscientes do nosso papel, procuramos fazer o melhor para atender os professores, que já receberam aumento de 60% nos últimos quatro anos”, defendeu.

Richa fez um novo apelo aos servidores e professores para que retornem, imediatamente, às aulas. “Agora é hora de voltar para a sala de aula. É o que peço com sincera esperança de que este impasse termine o mais rápido possível. Temos crianças e jovens que estão sem aulas e sofrem um grande prejuízo em sua formação”, disse.

PROPOSTA - A proposta é um aumento de 12% até janeiro, a ser aplicado da seguinte forma: 3,45% parcelado em três vezes, em setembro, outubro e novembro. Depois, em janeiro de 2016, o reajuste com base na inflação de 2015, o que deve significar mais aproximadamente 8,5%. Esse índice repõe a inflação pendente de 2014.

“Como você pode ver, é uma proposta séria, no limite de nossas possibilidades, irrecusável nas circunstâncias da crise econômica que vive o Brasil”, disse Richa em vídeo gravado aos servidores.

DISPUTA POLÍTICA - O governador afirmou que se surpreendeu com a recusa da APP-Sindicato. “Estou convencido de que essa atitude ultrapassou a defesa dos interesses salariais dos professores e passou para o terreno da disputa política. A APP-Sindicato, todos sabem, segue a cartilha do PT e ao PT não interessa o diálogo, o entendimento. Interessa continuar a greve”, disse.