Dívida municipal não intimida Leandro

Foto: Divulgação
Não tem sido raras as noticias sobre a dívida municipal de Ponta Grossa. A questão, ao que parece, preocupa alguns pré-candidatos e deixa evidente que aquele que for eleito deverá enfrentar imensas dificuldades com dívidas em curto e médio prazo.


Provocado pela reportagem sobre o tema, Leandro Soares Machado, pré-candidato a prefeito pelo Partido Pátria Livre – PPL foi incisivo, afirmando que “o futuro prefeito não será eleito para transferir problemas e sim resolver aquilo que não foi solucionado pelo governante anterior”.

Para Leandro, “todos falam no temor de uma dívida extremamente elevada, porém dizem que querem administrar a cidade, mesmo sabendo das dificuldades futuras”. Complementando o patriota destacou o fato de que “ninguém sabe na verdade qual é o real valor da dívida da prefeitura e a história se repete a cada novo mandato, com os governos anteriores deixando dívidas que impedem o avanço da administração pública”.

O pré-candidato pensa em determinar, na sua administração, um reestudo para o controle de receita e despesa, acabando com a “mania” de implantar o medo, sem que a população saiba a origem da elevação da dívida municipal.

“Sei que atualmente vereadores denunciam o não pagamento das contas com fornecedores, entidades assistências, serviços terceirizados, empreiteiras, dentre outras pendências do atual governo. Eu acredito que a situação deve ser revelada, para que os pretendentes ao cargo majoritário da cidade não venham repetir o mesmo. O povo não pode ser sacrificado em nome de uma dívida que não foi feita por ele”.

Leandro informou ainda estar o eleitor diante de um momento “onde a dificuldade gera a incerteza e descrença da classe politica, uma vez que as prestações de contas que são feitas apresentam valores positivos, porém, as notícias dizem o contrário”. Deste modo Leandro acredita que os eleitores devem prestar atenção, tendo em vista ser o processo eleitoral “uma ocasião onde existe o risco de se vender vantagens, criando dificuldades e vendendo facilidades”. 

Fonte: Assessoria de comunicação PPL PG