Mercado da Família inicia 2014 com mais autonomia

O programa Mercado da Família iniciou 2014 com mais autonomia. O convênio com a prefeitura de Curitiba para as compras de mais de 150 itens comercializados pelo programa terminou em dezembro de 2013, a partir de agora todos processos de compra acontecem em Ponta Grossa. Isso significa, segundo o chefe da Divisão de Abastecimento, César Augusto Ferreira, menos burocracia e mais agilidade nas compras.
Para o Mercado da Família atingir essa autonomia, as Secretarias Municipais de Abastecimento e de Administração e Assuntos Jurídicos se uniram para criar um Núcleo Especial de Compras do Abastecimento no Departamento de Compras da Prefeitura de Ponta Grossa (Decom), agilizando todo o processo. Quatro funcionários da Secretaria de Abastecimento foram cedidos ao Decom para compor o Núcleo Especial. O Núcleo funciona como um Decom dentro do Decom, todos os pedidos da SMAB estão sendo direcionados diretamente para o seu Núcleo, sem precisar esperar as urgências de outras secretarias no Núcleo Geral. A análise de edital e dos projetos básicos, por exemplo, agora é feita por pessoas especializadas de dentro da própria Secretaria de Abastecimento, o que torna os processos mais dinâmicos.
Foto: Divulgação
Além dessa grande evolução, dados da Secretaria de Abastecimento registram que o programa demonstrou maior eficiência logística e organizacional em 2013 em relação a 2012. A primeira medida foi a transferência do depósito do Mercado da Família para o Cará-cará, que garantiu o adequado escoamento dos produtos para as lojas e a menor perda de mercadorias. A iniciativa também assegurou um ambiente próprio para o armazenamento dos produtos e melhor qualidade de trabalho para os funcionários, já que o depósito conta com um grande espaço arejado, banheiros masculinos e femininos, sala da administração e cozinha. “Buscamos, durante todo o ano, imóveis mais baratos, com espaço e localização adequados, investimos no processo local de compras, no armazenamento adequado e na distribuição das mercadorias , no bem-estar dos mais de 33 mil consumidores cadastrados e dos servidores lotados nas oito unidades do programa. Buscamos oferecer à população serviços e produtos de qualidade, em ambientes confortáveis e seguros, com o melhor custo benefício ao município”, ressalta o secretário Municipal de Abastecimento, Sérgio Zadorosny Filho.
Sérgio Zadorosny Filho
As medidas fizeram com que o volume de vendas crescesse 6% em relação ao ano de 2012. “Temos muito a comemorar nesse primeiro ano de gestão. Se o programa está crescendo em volume de vendas e diminuindo as perdas é sinal de que está sendo mais eficiente em seu objetivo”, afirma Zadorosny.

De acordo com o secretário, outra iniciativa para que o programa se tornasse cada vez mais viável foi a economia de gastos com aluguéis e com a prestação de serviços. A economia com aluguel e assessórios de locação, segundo Zadorosny, estará na casa dos R$ 600 mil ao término da atual gestão. O secretário revela, ainda, que a Prefeitura de Ponta Grossa vai deixar de gastar R$ 1.350.000,00 com os serviços de reposição de mercadorias, que seria terceirizado ao custo de R$ 700 mil ao ano e está sendo executado por servidores municipais contratados para exercer a função ao custo de R$ 250 mil por ano, sem impactar no limite prudencial do município. Nos próximos três anos do governo Marcelo Rangel, o montante da economia com repositores vai chegar a quase R$1,4 milhões, que, somados aos R$ 600 mil economizados em locações, totalizarão quase R$ 2 milhões em economia, explica o secretário. “Faz parte de uma boa gestão a aplicação correta dos recursos e o controle dos gastos. Dessa forma, o programa será exemplo de política pública viável e eficiente, atendendo as necessidades de quem precisa sem onerar o município”. completa Zadorosny.

Fonte: Assessoria de comunicação SMAB