10 de setembro de 2014

Mundo duas rodas influencia segmento imobiliário

Foto: Valterci Santos / Central Press
O crescimento do mercado de motocicletas "premium" tem afetado positivamente diversos setores da economia, com a criação de uma nova categoria de consumidor: o apaixonado pelo mundo duas rodas. Seja um "harleyro" assumido, um fã de motovelocidade ou apenas um executivo que gosta de desfrutar de alguns momentos de liberdade, esse consumidor é exigente e gosta de exclusividade. 

Há alguns anos, as montadoras já focam nesse público, produzindo motos equipadas com tecnologia de ponta e itens de conforto, como sistema de som e navegação, freios ABS, jaqueta airbag e até bancos com aquecimento. Além disso, dão um gás nesse estilo de vida oferecendo roupas e acessórios para cada uma dessas "tribos". 

Curitiba se tornou um dos principais mercados para as motos de alta cilindrada nos últimos anos. Tanto que, entre os dias 21 e 23 de novembro, a cidade receberá a segunda edição do Brasil Motorcycle Show. A proposta do festival é reunir as principais referências do setor, atrações para toda a família e os lançamentos da indústria. 

A nova onda dos aficionados pelas motos é decorar o apartamento (ou a casa) com itens da marca preferida e, até mesmo, buscar um imóvel que possa atendê-los por completo. Se no início dos anos 2000 o grande diferencial das construtoras era oferecer condomínios-clube com diversos espaços de lazer, hoje, o mercado tende literalmente ao minimalismo, adotando o lema de que "menos é mais". Com um foco maior nas áreas privativas, as imobiliárias têm investido na exclusividade, levando em consideração as particularidades e o perfil dos prospects. 

De acordo com o arquiteto Jayme Bernardo, a forma de se morar na capital paranaense mudou muito nos últimos anos. Ele afirma que o ramo imobiliário, mais do que nunca, tem buscado encaixar os "hobbies" dos clientes nas áreas residenciais. "Hoje, por questões de segurança e falta de tempo, é muito mais interessante investir em espaços que possam abrigar as atividades de lazer dos moradores", explica. 

Jayme lembra que já existem edifícios em Curitiba que oferecem áreas especiais, como lounges, cozinhas gourmet, adegas, oficinas e até garagens para colecionadores. "É fundamental que as construtoras pensem em soluções que incluam também os passatempos das pessoas. Às vezes, o morador possui uma motocicleta, por exemplo, mas não conta com espaço para guardá-la de forma adequada. E esse é um público crescente", ressalta.

Não é raro encontrar proprietários que, por falta de espaço, estacionam o carro e a moto em uma mesma vaga de garagem - ou estaciona um deles na rua. E isso reflete diretamente no bolso, já que o preço do seguro pode aumentar em até 25% nesses casos. 

A Porto Seguro, que estará no Brasil Motorcycle Show em novembro, como co-patrocinadora oficial, dá algumas dicas para aumentar a segurança dos proprietários das motos. Além dos itens técnicos, como calibrar pneus, verificar o nível e trocar o óleo, conservar o motor e os freios, é importante pilotar com segurança, transitar em ruas de maior movimento e guardar a moto em locais seguros.

SOLUÇÃO DE MOBILIDADE
Na esteira das grandes metrópoles mundiais, Curitiba lidera o ranking nacional como cidade com mais carros por habitante. Levantamento realizado em 2013 pelo IBGE aponta que a capital paranaense tem 1,8 habitante para cada carro, quase o dobro da média nacional na proporção de automóveis de passeio e utilitários por pessoa (motos, caminhões e ônibus não foram computados). Os reflexos são sentidos diariamente nas ruas e avenidas da cidade, já que algumas delas ficam congestionadas não apenas nos "horários de pico". 

Além das mudanças no trânsito e no ritmo de vida dos habitantes, outros segmentos também têm sido afetados pelo aumento significativo de veículos. Por praticidade, muitas pessoas optam por locomover-se por meios alternativos e as motocicletas têm representado uma opção prática, permitindo um deslocamento ágil nos engarrafamentos ou nos momentos de trânsito mais "pesado". 

Outro público crescente é o dos "apaixonados", que no dia-a-dia optam pelo carro, mas "para passear" aos fins de semana usam motos. O progressivo interesse pelas "duas rodas", seja por necessidade ou por "hobbie", tem refletido de maneira importante em diversos setores públicos e privados. Desde o planejamento urbano de ruas e avenidas, passando pelo mercado de seguros, até o setor imobiliário, a "febre das motocicletas acima de 500cc" veio para ficar.

Sobre o Brasil Motorcycle Show
A segunda edição do Brasil Motorcycle Show será realizada entre 21 e 23 de novembro de 2014 no Expo Renault Barigui, em Curitiba. A proposta do festival de motociclismo "premium" de alta cilindrada organizado pela OC Promo é reunir as principais referências, atrações e lançamentos do mundo duas rodas. Além das montadoras, o evento conta com a participação de empresas especializadas em customização, acessórios, serviços especializados, além de shows e áreas interativas para crianças e adultos e uma praça de alimentação com sete Food Trucks, denominada "Garage Brasil a La Carte". O evento tem co-patrocínio da Porto Seguro Moto e apoio de Banco Alfa, FIAT, Revista Where Auto e Gazeta do Povo. Mais informações no site: brasilmotorcycleshow.com.br.


Fonte: Assessoria de comunicação Central Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leandro Soares fala sobre o Conselho Municipal de Saúde de Ponta Grossa

Entrevista Portal aRede, Leandro Soares O Presidente do Conselho Municipal de Saúde de Ponta Grossa, Leandro Soares, fala ao Port...

MAIS VISUALIZADAS DA SEMANA