Governo do Estado reúne-se com representantes do MST

Foto: Divulgação
O Governo do Paraná reúne-se nesta segunda e terça-feira (13 e 14), em Curitiba, com representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) para discutir as políticas públicas e debater as ações para melhorar a vida das famílias assentadas. É a primeira vez que representantes de diversas secretarias de Estado e órgãos do Governo participam em conjunto com integrantes de movimentos sociais.

Segundo o secretário especial para Assuntos Fundiários, Hamilton Serighelli, a intenção é mostrar que existe integração entre os setores e fazer com que todos os envolvidos possam conhecer melhor os trabalhos desenvolvidos por outros departamentos. “A discussão conjunta mostra que todos os setores do governo trabalham de forma integrada para garantir melhores condições às famílias assentadas nos 328 municípios do Estado”, afirma.

Desde 2011, os encontros dos representantes do movimento dos sem-terra com as autoridades acontecem periodicamente de forma isolada, apenas com a presença da secretaria ou órgão específico responsável por determinado assunto. “O trabalho é e deve ser unido para se conquistar melhores resultados”, diz Serighelli.

Participam do evento 30 assentados de várias regiões do estado, entre elas Cascavel, Maringá, Londrina, Lapa e Apucarana. Foram convidados também alguns prefeitos e representantes das Secretarias da Agricultura e Abastecimento; do Trabalho e Desenvolvimento Social; da Educação; da Ciência e Tecnologia; da Saúde; do Esporte, Turismo e Juventude; da Cultura; e do Meio Ambiente. Também participaram autoridades da Copel, Sanepar, Emater, Cohapar, IAP e ITCG, acompanhadas por representantes do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

De acordo com o coordenador estadual do Movimento Sem Terra, Diego Moreira, por meio destas reuniões de trabalho com as secretarias é que serão estabelecidas políticas públicas nas áreas da saúde, educação, meio ambiente e outros setores. “É importantíssimo para nós que os governos federal, estadual, os municípios e o movimento se unam em torno do desenvolvimento dos assentamentos e da reforma agrária”, afirma Diego.

Para a responsável pela Divisão de Desenvolvimento, do Incra, Maria Cristina Medina Casagrande, o evento garante uma união significativa para todos os envolvidos. “É um momento de junção de esforços que além de discutir novas ações em conjunto possibilita que as outras secretarias e entidades possam saber o que os outros estão fazendo pelo movimento”, ressalta Maria Cristina.


Fonte: Estado do paraná