Time de atletismo da APEDEF treina para competição internacional

A equipe de atletismo da Associação Ponta-grossense de Emancipação para Deficientes (APEDEF) começa a se preparar para a disputa do Open Caixa Loterias de Atletismo e Natação, torneio que acontece em São Paulo no mês de abril. O time, comandado pelo antigo coordenador da seleção brasileira de atletismo paraolímpico, Gilberto Freire, espera alcançar bons resultados na disputa.

Atletas da APEDEF treinam para conseguir bom desempenho no Open, em Abril.
Carlos Camargo tem 45 anos e pratica esporte há doze. Rafael Schwab tem 30 anos e compete no atletismo desde os 21. Emanuelli de Fátima, 15 anos, é atleta há dois. Carmem Silva, conhecida como ‘Xuxa’, tem 50 anos de idade e é esportista há mais de vinte.
Todas essas pessoas são para-desportistas da equipe de atletismo da Associação Ponta-grossense de Emancipação para Deficientes (APEDEF). Seis vezes por semana, os atletas treinam arremesso de peso, dardo e disco no campus da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), em Ponta Grossa. Agora, os esportistas se preparam para a disputa do Open Caixa Loterias de Atletismo e Natação, que vai ser disputado em São Paulo nos dias 24 à 26 de abril. 
Sob o comando do treinador pernambucano Gilberto Freire, a equipe se supera diariamente. “A maior motivação para o meu trabalho é ajudar uma pessoa que a sociedade enxerga como deficiente a ser, sob todos os aspectos, eficiente”, afirma Gilberto.
Gilberto alia a experiência de 26 anos como profissional de educação física ao conhecimento técnico para desenhar cadeiras esportivas específicas para os competidores – dependendo da categoria, os para-atletas podem usar partes do corpo diferentes para arremessar os pesos. 
Ele, que coordenou a seleção brasileira de atletismo em três edições dos Jogos Paraolímpicos (Atlanta, 1996; Sidney, 2000; e Atenas, 2004), treina a equipe da APEDEF desde 2013. 
Alguns atletas do time tem renome internacional – é o caso de Xuxa, que chegou a quebrar o recorde pan-americano de arremesso de disco em 2004. “Eu vou melhor na competição dos que nos treinos”, relata a esportista. “A adrenalina da disputa faz com que meu desempenho seja maior. Espero aproveitar esse clima para quebrar o recorde novamente”, explica.
A atleta 'Xuxa' já quebrou o recorde do arremesso de peso, e vê o esporte como uma superação.
Escrito por ALINE CZEZACKI, RODRIGO MENEGAT E JULIAN VIEIRA / Portal Comunitário