Profissionais do Paraná são capacitados no Tecpar para negociar transferência de tecnologia

Foto: Divulgação
O Programa de Treinamento “O Sucesso no Licenciamento Tecnológico (STL)”, sediado ao longo da semana no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), terminou na sexta-feira (14) e já deixa um legado de profissionais qualificados para negociar a transferência de tecnologia no estado. Do total dos participantes, 50% são paranaenses e desses, a metade é formada por pessoas que trabalham na instituição e nas organizações que compõem o Parque Tecnológico da Saúde do Tecpar.

Tema novo no país, os acordos de transferência de tecnologia são um importante instrumento jurídico para garantir que inovações desenvolvidas por pesquisadores ganhem escala e beneficiem a sociedade. “Hoje as inovações no Brasil estão quase restritas à academia, porque poucos pesquisadores estão trabalhando em empresas. Nos países desenvolvidos, é o contrário. Por isso, é difícil que as organizações aumentem a escala de inovações, porque elas ficam nas bancadas das universidades”, explica Cristina Quintella, presidente do Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec), um dos organizadores do programa de treinamento.
Neste cenário, para fazer com que as inovações desenvolvidas na academia cheguem às empresas e consequentemente à sociedade, é preciso haver negociações de transferência de tecnologia. “O problema é que há poucos profissionais capacitados para chegar a um acordo de ganha-ganha. Com o fim do programa de treinamento, mais pessoas estão qualificadas, no Tecpar e no Paraná, para fazer essas negociações de uma maneira justa”, salienta Cristina.
Durante o programa de treinamento, os participantes foram separados em dois grupos, representando a academia e os empresários. Eles formularam propostas de inovação tecnológica durante dois dias, com ajuda de especialistas no assunto, e em seguida simularam a elaboração de um acordo de transferência de tecnologia com base nas propostas apresentadas. “São situações hipotéticas baseadas em situações reais. É conhecimento na prática”, ressalta a presidente do Fortec.
O Tecpar tem a sua unidade de apoio às negociações de transferência de tecnologia, a Agência Tecpar de Inovação (AGTI). “Para promover a transferência de tecnologia, a AGTI desenvolve diligências da inovação, para priorizar os ativos intangíveis com maior potencial de transferência e identificar potenciais parceiros para a exploração das tecnologias”, explica Marcus Zanon, gerente da agência.