Conferência regional discute políticas públicas na área alimentar

Foto: Divulgação
A Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção Ponta Grossa (OAB-PG) sediou na última quinta (16), a Conferência Regional de Segurança Alimentar e Nutricional, onde delegados dos Conselhos Municipais e outros envolvidos na área discutiram a importância e necessidade de desenvolvimento de políticas públicas para garantir alimento de qualidade para todos.

Entre as autoridades presentes estavam o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel, o prefeito de Ipiranga e presidente da Associação dos Municípios dos Campos Gerais, Roger Selski, a promotora de justiça do Ministério Público do Paraná, Adélia Souza Simões, o gerente regional da Emater Ponta Grossa, Osmar Wagner, o vice-presidente da OAB-PG, Carlos Gustavo Horst, o presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, Leandro Soares Machado, o secretário municipal de Agricultura e Pecuária, Gustavo Ribas Netto, entre outras autoridades.

A fala inicial foi feita pela coordenadora da Comissão Regional da Segurança Alimentar e Nutricional da região de Ponta Grossa, Maria Isabel Correia. Ela destacou a importância do desenvolvimento de políticas públicas que garantam o acesso de toda à população. “Nosso planeta hoje produz alimento suficiente para suprir 12 bilhões de pessoas, mas ainda que com oito bilhões, uma em cada sete pessoas no mundo sofre com a fome. As causas da fome não tem relação com a carência de alimentos, e sim de políticas”, destacou a coordenadora.

Ela ainda destacou a importância de ações de incentivo a agricultura local. “Mais de 80% do que consumimos hoje é proveniente da agricultura familiar. Por isso é fundamental que os governos tenham essa relação de proximidade com a agricultura local, focando na agroecologia, na agricultura de estação e criar o hábito de comprar diretamente dos produtores, garantindo um alimento mais fresco. Nós temos um quadro claro de doenças associadas, consequência de tanto agrotóxico, tanto transgênico e tantos aditivos em nossos animais”, lembrou ela.

“Assim como diversas outras situações, nossos problemas nessa área da segurança alimentar também passam pela esfera política. Por isso a importância do debate desse tema. Ponta Grossa está se preparando para realizar seu cadastro no Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), o que será muito importante para este cenário. Vamos trabalhar no incentivo aos produtores rurais, desde a produção até o resultado final”, frisou o prefeito Marcelo Rangel.

Após as discussões, metas foram estabelecidas e devem também ser discutidas nas conferências estaduais e nacionais. Os debates devem ajudar a nortear um plano da segurança alimentar e nutricional em todas as esferas.

Fonte: Prefeitura de Ponta Grossa